Categories
Soluções

Leia este texto e viaje para o Rio de Janeiro com segurança

Algumas pessoas sabem que sou nativo do Rio de Janeiro. Nos últimos 16 anos morei no bairro de Copacabana e trabalhava no bairro do Flamengo.

Também morei nos seguintes bairros:

  • Del Castilho
  • Campinho
  • Madureira
  • Vaz Lobo
  • Todos os Santos
  • Maria da Graça
  • Nova Iguaçu
  • Belford Roxo
  • Catete
  • Laranjeiras e
  • por duas semanas no Largo do Machado em 20 metros quadrados.

Aqui em Goiânia eu ouço diversas pessoas, de classes sociais diversas me dizendo que tem vontade de conhecer o Rio de Janeiro.

Chegar ao Rio de Janeiro é como quem vai à Trindade (GO):

Coloquei GO porque no Estado do Rio de Janeiro, também existe Trindade. Fica perto de Paraty e Paraty lembra Pirenópolis.. mas isto é uma outra história.

De ônibus

Você compra a passagem e vai para a rodoviária. O ônibus saí ás 14 h e você chegará na rodoviária Novo Rio no outro dia por volta das 13h.

Saiu do ônibus, você sairá da rodoviária pela saída mais próxima. Não precisa falar com ninguém. A rodoviária é mais cheia de pessoas que a de Goiânia – relaxa – saia pela direita e olhando para a frente um pouco a esquerda você verá outra pequena rodoviária.

Com três corredores de ônibus, você vai ler COPACABANA. Entre no ônibus (use dinheiro para pagar a passagem) e depois que o ônibus passar por dentro de um tunel, você vai contar 4 paradas de ônibus. Desce do ônibus. Ande para a esquerda e em 5 minutos a pé estará pisando na areia.

Você chegou ao Rio de Janeiro sem precisa abrir a boca.

Você está na zona sul do Rio de Janeiro, pisando na areia da praia de Copacabana.

Se você está de férias precisa viver isto:

  • Passeio da Marinha no centro da cidade (coloca no google);
  • Visitar o quarto andar do CCBB – museu da moeda;
  • Visitar o museu do Banco do Brasil (já que passou duas horas no museu acima);
  • Museu do Amanhã;
  • Tomar café no Rubro na rua da Quitanda ou Café Colombo na rua Gonçalves Dias (com as calçadas estreitas e chatas de se caminhar);
  • Pensar que a rua acima foi uma das primeiras a ter energia elétrica no país;
  • Pegar o metrô e ir para o Largo do Machado. Lá tem um ônibus para o Cristo Redentor ou para o Corcovado;
  • Deixar a bunda quadrada na mureta da Urca e beber cerveja observando a natureza (tem gente que gosta);
  • Ir de trem até o Maracanã (eu iria de metrô – mais rápido e mais seguro);
  • Ir à Quinta da Boa Vista em um domingo (metrô);
  • Ir à Ilha de Paquetá (praia e passeios);

Viaje com outras pessoas.

A razão é segurança. Se você tiver uma dor de barriga por exemplo. Quem te ajudará? Se precisar de ajuda com sua mochila? Se precisar trocar uma ideia para decidir algo? Se você alugar um automóvel para conhecer outras cidades, tais como:

  • Petrópolis (Palácio de Dom Pedro I, Hotel Quitandinha, Casa de Santos Dumont, Palácio de Cristal e outros);
  • Angra dos Reis ( Angra I e II, Colégio Naval, passeios de escuna);
  • Paraty ( Lembra Pirenópolis, cachoeira e mar);
  • Saquarema ( quase morri afogado lá – show de bola);
  • Maricá (muito ciclismo e mar)
  • Xerém (quem sabe você encontra o Zeca Pagodinho e tira sua dúvidas sobre cerveja);
  • Teresópolis (falando em cerveja.. tem um teleférico também);
  • Varre-e-Saí ( para os amantes de cafés especiais);
  • Niterói (Museu, praia de Camboinhas);
  • São Pedro da Aldeia, Búzios, Vassouras…

Para esses lugares, você precisará de um automóvel. Quem vai “rachar” os pedágios e o combustível com você?

E a volta?

Você volta para a rodoviária e pega o ônibus da 15h. Chega no dia seguinte por volta das 12h.

Ficou com dúvida? Poste um comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *